Prática de mindfulness pode transformar o cérebro e promover saúde

Aumento da memória, regulação das emoções, diminuição dos sintomas de fibromialgia, síndrome do intestino irritável, psoríase e ansiedade são alguns dos benefícios comprovados cientificamente pela prática de mindfulness.

Também conhecido como atenção plena, mindfulness é um estado mental caracterizado pela autorregulação da atenção, que acaba se tornando um estilo de vida baseado no momento presente, na atenção e na consciência. Por conta dos benefícios nas diferentes esferas da vida, as chamadas práticas contemplativas são adotadas universalmente há mais de 3 mil anos em diversas culturas. Mesmo sendo uma prática ancestral, seu apelo continua atual, uma vez que a necessidade de estabelecer uma conexão consigo mesmo e com o próximo ainda é urgente, reunindo assim, a tradição e a ciência moderna.

 Palestra sobre Mindfulness com o Professor Jorge Biolchini, parte do Ciclo de Palestras realizado em 2018 na PUC-Rio.

Palestra sobre Mindfulness com o Professor Jorge Biolchini, parte do Ciclo de Palestras realizado em 2018 na PUC-Rio.

Estudos científicos já demonstraram que esse tipo de meditação é muito benéfico para a saúde humana, seja ela física, mental ou social. Incluir as práticas no dia a dia pode diminuir o estresse e a ansiedade, aumentar a atenção e a memória, além de promover empatia e autoconhecimento. Além disso, pode ajudar também os pacientes que sofrem com depressão e hipertensão.

Cientistas da Universidade de Harvard realizaram exames de ressonância magnética do cérebro de 16 indivíduos saudáveis e iniciantes na meditação, antes e depois de um curso de mindfulness com duração de oito semanas. Comparando com o resultado de 17 outros pacientes que não participaram do curso, eles constataram um aumento na massa cinzenta de diferentes áreas do cérebro responsáveis pela memória, regulação de emoções, processo de aprendizado e de autoconhecimento naqueles que aprenderam a meditar. Em outro estudo da Harvard Medical School com o Hospital Geral de Massachusetts e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, pesquisadores realizaram testes similares e descobriram que a atenção plena aumenta a habilidade de regular o ritmo alfa – a onda cerebral que permite que evitemos distrações. Desta forma, um dos maiores valores da meditação pode ser ajudar o cérebro a lidar com um mundo superestimulante. Estudos já relacionaram, também, a prática de mindfulness a uma melhora nos sintomas de diversas condições físicas e mentais, como fibromialgia, síndrome do intestino irritável, psoríase, ansiedade e transtorno do estresse pós-traumático.

O interesse científico e o interesse popular sobre o tema cresceram juntos. Nos últimos anos, o volume de estudos e pesquisas aumentou expressivamente, e o assunto passou de um “tabu” para a medicina a algo a ser incentivado, uma vez que os estudos mostraram resultados positivos. A partir disso, o tema foi inserido nas escolas, hospitais, prisões, times esportivos, e até mesmo quartéis.  

Mindfulness na PUC

O tema já está presente na PUC-Rio desde 2009, ano em que foi introduzido nas aulas do curso de pós-graduação em Homeopatia. Visando aprofundar mais o conhecimento sobre o assunto, o professor Jorge Biolchini, coordenador do curso de Homeopatia e do curso de Formação Docente em Novas Metodologias, reuniu os departamentos de Medicina, Psicologia e Teologia e juntos criaram o Ciclo de Palestras Práticas Contemplativas e Mindfulness.

Inspirado nas experiências educacionais em diversos continentes, o intuito era disseminar informações sobre as práticas contemplativas. Este ano, o Ciclo de Palestras aconteceu no período de 11 de abril a 14 de junho, no campus da PUC-Rio. Foram abordados diversos temas, entre eles o caráter cristão da meditação; seu papel nos momentos de privação e violência; e sua aplicação na promoção da saúde. Segundo Biolchini, “a ideia é disseminar um conhecimento teórico e prático para que os alunos saibam praticar mindfulness consigo mesmos e com os outros, além de adaptar em diferentes contextos, situações e pessoas. Qualquer pessoa de qualquer área pode incorporar na prática profissional e em todas as ações do dia a dia”.

O ciclo de palestras foi criado como forma de ampliar o acesso a estes conhecimentos. Além disso, o Departamento de Medicina promove um curso de pós-graduação chamado de “Práticas Contemplativas e Mindfulness”. O curso de formação profissional abrange as mais diversas áreas do conhecimento e é composto por 10 docentes fundamentados nas Grandes Tradições, como o Budismo Indiano, Yoga, Cristianismo, Taoísmo, Judaísmo e as Ciências, apresentando um panorama abrangente sobre o poder de viver com atenção plena.