Câncer de pele é o mais frequente no Brasil

por Ana Luísa Nunes

Aproximadamente 130 mil novos casos de câncer de pele ocorrem por ano, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). A exposição à radiação solar sem a proteção adequada é a principal causa do câncer de pele. Determinadas substâncias químicas, vírus e radiações ionizantes como o raio-x também estão entre os agentes causadores.

Cerca de 30% dos tumores malignos diagnosticados no Brasil correspondem a cânceres de pele. O carcinoma basocelular representa 70% dos tumores na pele e é o mais frequente no mundo. Pode se manifestar de modo semelhante a lesões não cancerígenas, como eczema e psoríase. Apesar da grande incidência, tem baixa letalidade e altas chances de cura se detectado precocemente.

 Prof. David Azulay

Prof. David Azulay

O carcinoma espinocelular corresponde a 20% dos tumores na pele e é o segundo mais frequente entre todos os tipos de câncer. De acordo com o Professor David Azulay, coordenador do curso de Dermatologia da Escola Médica de Pós-graduação da PUC-Rio, é o mais claramente identificável em experiências de laboratório realizadas com raios UVA e UVB. Por manifestar-se nas células que constituem as camadas superiores da pele, tem grandes probabilidades de cura se diagnosticado rapidamente.

Já o melanoma corresponde a 8% dos cânceres de pele e tem o pior prognóstico e o mais alto índice de mortalidade. Em estágios avançados, a lesão é mais espessa e atinge camadas mais profundas da pele, o que aumenta a chance de metástase e diminui as possibilidades de cura. No entanto, se detectado precocemente, as chances de cura são de mais de 90%.

O carcinoma basocelular e o melanoma decorrem mais de uma exposição intermitente ao sol e de queimaduras localizadas, enquanto o carcinoma espinocelular é relacionado à exposição solar contínua. Pessoas ruivas ou loiras, de pele e olhos claros são as mais suscetíveis ao câncer de pele, e pessoas de pele negra, as menos.

Lesões malignas na pele podem ser róseas, avermelhadas ou escuras e apresentam por vezes evolução lenta e progressiva. Outras características são a assimetria, bordas irregulares e diâmetro maior que 6mm. Cânceres de pele costumam ser assintomáticos e apresentar características diversas, por isso é necessário ficar atento a qualquer nova lesão ou modificação de uma lesão antiga, principalmente pintas que coçam ou sangram facilmente e feridas que não cicatrizam.

A radiação UVB é relativa à luminosidade e atravessa somente a epiderme (camada mais superficial da pele). Provoca as queimaduras solares e é mais associada ao câncer de pele. Sua incidência é mais forte no verão, nas regiões próximas à linha do Equador e em altas altitudes. Já o UVA penetra mais profundamente na pele e é responsável pelo fotoenvelhecimento, além de causar as mesmas lesões que o UVB. Sua intensidade independe do horário do dia ou da época do ano e atinge níveis consideráveis em dias nublados e durante o inverno. Ambos os raios têm sua intensidade dobrada quando refletidos na água e na areia.

O professor Azulay afirma como medida preventiva fundamental evitar ao máximo a exposição ao sol, especialmente entre 10h e 14h, horários de maior intensidade da radiação UVB. Dentre outras recomendações estão hidratação constante, uso de chapéu, roupas com mangas e uso de protetor solar, que deve ser aplicado pelo menos 15 minutos antes da exposição ao sol. O Prof. Azulay, no entanto, faz uma ressalva ao modo errôneo como o produto é usado habitualmente: "o protetor não pode ser entendido como um "passaporte" para se expor ao sol. É uma proteção básica".

Ele também afirma como vA?lido o uso de produtos com altos fatores de proteção: "Os fatores de proteção são testados e definidos com uma quantidade de 2mg por cm2 de pele. Na prática, as pessoas usam 1/3 do que é aplicado no teste, o que justifica o uso de um FPS mais elevado, que proporciona maior concentração", explica.

O verão também é propício para doenças como micoses e candidíase. A combinação de calor e umidade favorece a proliferação de fungos, principalmente nas juntas ou partes do corpo que ficam constantemente abafadas. Os principais sintomas são coceira e ardência. Para evitar, é necessário manter essas áreas sempre limpas e secas. Brotoejas e acne solar, também típicas do verão, são causadas pelo calor e bloqueio das glândulas sudoríparas e sebáceas. NA?o se expor ao sol por alguns dias e usar produtos específicos, como pasta d'água, são as melhores maneiras de tratar essas inflamações da pele.